Search
Close this search box.

Nacional

REUNIÃO: Fávaro se reúne com parlamentares para captar recursos de emendas de bancadas para 2024

Publicado

em

No encontro com deputados, ministro apresentou cardápio de programas do Mapa

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, esteve nesta terça-feira (7), na Câmara dos Deputados, reunido com as bancadas federais de São Paulo e Minas Gerais para apresentar os programas que estão sendo desenvolvidos no Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), de forma a captar recursos para suas execuções que irão atender as demandas dos estados e municípios em 2024.  

Até o momento, o Mapa já promoveu diversos encontros, entre eles reuniões com as bancadas de Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Distrito Federal, Acre e Tocantins. A expectativa é de atender as 27 bancadas até o final deste mês. Até agora, mais de dez bancadas federais já sinalizaram que colocarão recursos para execução no Mapa.   

“Hoje optei por um trabalho diferente e fizemos o inverso, no lugar de receber os parlamentares no gabinete do Mapa, fui até a Câmara dos Deputados com a equipe para visitar as bancadas federais, tanto de estados como de partidos, para discutir as demandas e escutar as críticas e sugestões para o aperfeiçoarmos do nosso trabalho”, destacou Fávaro, que se reuniu também com a bancada federal do PSD. No encontro, ao lado do ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula, e do líder do PSD na Câmara, deputado Antônio Britto, o ministro Carlos Fávaro ouviu com atenção as demandas apresentadas, fez anotações e explicou a logística dos trabalhos desenvolvidos pelo Ministério. 

Na oportunidade, Fávaro elencou os projetos do Mapa para melhorar as estradas vicinais da zona rural; máquinas e patrulhas agrícolas; modernização da Embrapa para o desenvolvimento da pesquisa, enfrentamento da influenza aviária, entre outros.  

Segundo o ministro, esse movimento é importante para que o trabalho do Governo e dos parlamentares estejam sincronizados de forma da dar fluidez e agilidade nas execuções de emendas. “Quem ganha é a população, pois os recursos, os programas e os projetos andam mais rápido e de forma eficiente”, disse.   

O superintendente Federal de Agricultura do estado de São Paulo, Guilherme Campos, acompanhou o ministro Fávaro nas agendas e destacou a agilidade do Mapa no enfrentamento da Influenza Aviária. Campos, afirmou que a distribuição do recurso emergencial para os estados está sendo fundamental para evitar que a doença chegue na produção de aves de subsistência e comercial.  

Acompanharam o ministro nas reuniões, o secretário-executivo adjunto do Mapa, Cléber Soares, o subsecretário de Orçamento, Planejamento e Administração, Fernando Soares, o coordenador-geral de Apoio às Superintendências Federais de Agricultura do Mapa, Oziel de Oliveira, e o chefe da Assessoria Especial de Assuntos Parlamentares e Federativos, Samoel Barros.  

Comentários do Facebook

Nacional

Brasil reduz dependência de petróleo e gás natural na oferta de energia da matriz energética

Publicados

em

Relatório elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em parceria com o MME evidencia o recuo da participação de fontes fósseis na última década aponta avanços do país dentro da transição energética

Nos últimos 10 anos, o Brasil tem feito uma significativa transformação na matriz energética, conforme revelado pelo Balanço Energético Nacional (BEN) 2024, elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em parceria com o Ministério de Minas e Energia (MME). Os dados, divulgados nesta semana, demonstram uma queda na participação de petróleo e derivados, que passou de 39,2% para 35,1%, e do gás natural, de 13,5% para 9,6% no período. A mudança aponta os avanços do país na diversificação e sustentabilidade da oferta energética nacional.

“A redução na dependência de fontes fósseis reflete o nosso esforço contínuo para fortalecer a renovação do setor energético nacional. Nos últimos anos, nossas políticas públicas e investimentos estratégicos têm impulsionado o crescimento de fontes alternativas, como energia solar, eólica e biomassa. Essa transição contribui significativamente para a mitigação das emissões de gases de efeito estufa (GEE)”, destaca o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Com vasto potencial natural, o Brasil se posiciona como líder emergente na transição energética global, como aponta relatório do Fórum Econômico Mundial divulgado nesta semana. À medida em que o país reafirma o compromisso com a inovação e a sustentabilidade, a redução na dependência de petróleo e gás natural pode ser um catalisador para um futuro energético mais limpo e seguro para todos os brasileiros.

Mais informações sobre o BEN  O Balanço Energético Nacional divulga, anualmente, uma extensa pesquisa e a contabilidade de dados relativos à oferta e consumo de energia no Brasil, levantados pela EPE. O relatório contempla as atividades de extração de recursos energéticos primários, sua conversão em formas secundárias, a importação e exportação, a distribuição e o uso final da energia.

Até a próxima semana, o Ministério de Minas Energia divulgará uma série de matérias detalhando os principais destaques do BEN 2024 em relação aos setores de energia elétrica, planejamento energético, petróleo, gás natural e biocombustíveis.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA