Search
Close this search box.

Agro

Brasil e Rússia fortalecem cooperação durante reunião de Comissão Intergovernamental

Publicado

em

Durante encontro, ambos representantes dos países expressaram forte interesse em aprofundar a cooperação bilateral

O Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil (Mapa) marcou presença na 12ª Reunião da Comissão Intergovernamental Brasil-Rússia para a Cooperação Econômica, Comercial, Científica e Tecnológica (CIC), que ocorreu em Moscou nesta terça-feira (27). O encontro representa um marco importante na consolidação das relações bilaterais entre os dois países, com foco em avanços na área da agricultura.

A reunião foi presidida pela secretária-geral das Relações Exteriores, Embaixadora Maria Laura da Rocha, juntamente com o vice-ministro do Desenvolvimento Econômico russo, Vladimir Ilichev. A CIC constitui etapa preparatória à 8ª reunião da Comissão de Alto Nível Brasil-Rússia, a ser copresidida pelo vice-presidente da República do Brasil e pelo primeiro-ministro russo.

Representando o Mapa, esteve presente o secretário de Comércio e Relações Internacionais, Roberto Perosa, que foi acompanhado por Marcel Moreira, diretor do Departamento de Promoção Comercial e Investimentos da SCRI e Marco Túlio Santiago, adido agrícola em Moscou.

Durante a reunião, ambos representantes dos países expressaram forte interesse em aprofundar a cooperação bilateral, ressaltando a importância do intercâmbio comercial e da participação coordenada em fóruns multilaterais importantes, como o BRICS e o G20.

Liderando o comitê agrário, Perosa ressaltou o excelente momento das relações entre o Mapa e as contrapartes russas, incluindo o Ministério da Agricultura e a Rosselkonadzor. O secretário ainda agradeceu a habilitação de cinco plantas brasileiras para a exportação de proteína animal para a Rússia e a abertura do mercado dos países da União Eurasiática para as exportações de bovinos vivos brasileiros.

Além disso, o secretário do Mapa abordou o interesse contínuo do Brasil em avançar nas tratativas sanitárias e fitossanitárias com a Rússia, visando ampliar o fluxo comercial entre os dois países.

“Esta cooperação impulsiona o crescimento econômico e traz benefícios recíprocos, estabelecendo uma parceria duradoura e eficaz no setor agrícola. A reunião da CIC destacou o compromisso de ambos os países com o desenvolvimento e a colaboração, incentivando novas oportunidades de comércio, bem como parcerias científicas e tecnológicas. Brasil e Rússia estão determinados a prosseguir com essa parceria exitosa, buscando um futuro de prosperidade sustentável e compartilhada”, concluiu Perosa.

Em 2023, o Brasil exportou para a Rússia cerca de US$ 1,25 bilhão em produtos do agronegócio. O complexo soja e as carnes representaram 73% do total comercializado.

Reunião na embaixada
Antecedendo a 12ª Reunião da Comissão Intergovernamental Brasil-Rússia, o secretário Roberto Perosa e o diretor Marcel Moreira estiveram na Embaixada do Brasil na Rússia para uma reunião preparatória na segunda-feira (26). Os representantes do Mapa se reuniram com a Embaixadora Maria Laura da Rocha, secretária-geral do Ministério das Relações Exteriores, e com o Embaixador do Brasil na Rússia, Rodrigo Baena Soares.

Comentários do Facebook

Agro

Exportações do agronegócio brasileiro atingem mais de US$ 15 bilhões em maio

Publicados

em

Os produtos que mais contribuíram para abrandar a queda das exportações no mês foram café verde, algodão não cardado nem penteado, celulose e açúcar de cana em bruto.

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15,05 bilhões em maio de 2024. Esse resultado correspondeu a 49,6% das exportações totais do Brasil. O valor em maio foi 10,2% inferior na comparação com os US$ 16,76 bilhões exportados no mesmo mês de 2023. Em termos absolutos, houve uma queda de US$ 1,71 bilhão nas vendas externas. Esta diminuição ocorreu em função dos menores preços médios de exportação e, também, devido à redução do volume global exportado. 

Os produtos que mais contribuíram para abrandar a queda das exportações no mês foram café verde (+US$ 392,21 milhões), algodão não cardado nem penteado (+ US$ 337,30 milhões), celulose (+ US$ 298,95 milhões) e açúcar de cana em bruto (+ US$ 114,63 milhões). 

PRODUTOS BRASILEIROS 

Um dos destaques das exportações brasileiras do agronegócio, o complexo sucroalcooleiro continua registrando recordes de exportação. O setor elevou as exportações de US$ 1,24 bilhão em maio de 2023 pra US$ 1,43 bilhão em maio de 2024 (+15,3%). O volume recorde de açúcar exportado para os meses de maio foi o fator responsável por esse bom desempenho.

Vale ressaltar que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou uma produção 46,3 milhões de toneladas de açúcar para a safra 2024/2025, maior volume de produção de açúcar em toda a série histórica. Com essa produção recorde, o Brasil exportou 2,81 milhões de toneladas em maio (+16,7%).

As carnes também estão entre os principais setores exportadores do agronegócio brasileiro, sendo responsáveis por 14,2% de todas as vendas externas do agronegócio. Foram registrados US$ 2,13 bilhões em maio de 2024, valor 2,0% superior na comparação com os US$ 2,09 bilhões exportados no mesmo período de 2023.

Houve embarques recordes em três tipos de carnes: 211,98 mil toneladas exportadas de carne bovina in natura em maio de 2024 (recorde de todos os meses); 430,26 mil toneladas de carne de frango in natura (recorde para os meses de maio); e 91,63 mil toneladas de carne suína in natura (também recorde para os meses de maio).

Os produtos florestais ficaram na terceira posição dentre os principais setores exportadores do agronegócio, registrando US$ 1,55 bilhão em vendas externas (+25,5%).

Ao contrário do complexo soja e das carnes, houve elevação nos preços médios de exportação nos produtos florestais. O principal motivo dessa alta ocorreu devido ao incremento do preço internacional da celulose, que passou de US$ 403 por tonelada em maio de 2023 para US$ 551 por tonelada em maio de 2024 (+36,8%). A China é o principal importador desse produto brasileiro.

EXPORTAÇÕES JANEIRO A MAIO 

No acumulado de 2024, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 67,17 bilhões (-0,2%). O declínio das exportações ocorreu em função da queda dos preços dos produtos exportados (-9,8%), uma vez que o índice de quantidade apresentou crescimento de 10,7% nos cinco primeiros meses do ano. O agronegócio representou 48,4% das exportações totais brasileiras.

ACUMULADO DOZE MESES (JUNHO DE 2023 A MAIO DE 2024) 

No período acumulado dos últimos doze meses as exportações do agronegócio brasileiro somaram US$ 166,38 bilhões, o que significou crescimento de 2,4% em relação aos US$ 162,53 bilhões exportados nos doze meses imediatamente anteriores. Com esse valor, a participação dos produtos do agronegócio no total exportado pelo Brasil no período foi de 48,5%.

As importações, por sua vez, totalizaram US$ 17,49 bilhões, cifra 1,3% inferior à registrada nos doze meses anteriores (US$ 17,72 bilhões), e representaram 7,2% do total adquirido pelo Brasil no período.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA