Caldas Novas

Ministério Público de Caldas Novas terá a 7ª Promotoria de Justiça

Publicado

em

Vinte e oito promotorias de Justiça de Goiás terão novos titulares a partir da terça-feira (25/7), como resultado da movimentação na carreira ocorrida após a análise do Edital nº 113/2023, do Conselho Superior do Ministério Público. O ato de movimentação foi publicado na edição de hoje (21/7) do Diário Oficial do Ministério Público de Goiás. Já Caldas Novas contará com a 7ª Promotoria de Justiça de Caldas Novas: Ariane Patrícia Gonçalves.

Confira as promotorias e novos titulares, a partir de terça-feira:

•    19ª Promotoria de Justiça de Goiânia: Antônio de Pádua Freitas Júnior
•    24ª Promotoria de Justiça de Goiânia: José Carlos Miranda Nery Júnior
•    12ª Promotoria de Justiça de Goiânia: Sandra Mara Garbelini
•    85ª Promotoria de Justiça de Goiânia: Karina D’Abruzzo
•    33ª Promotoria de Justiça de Goiânia: Cristiane Vieira de Araújo
•    2ª Promotoria de Justiça de Ceres: Bárbara Olávia Scarpelli
•    8ª Promotoria de Justiça de Águas Lindas de Goiás: Liana de Andrade Lima Schuler Martins Netto
•    5ª Promotoria de Justiça de Santo Antônio do Descoberto: Diego Campos Salgado Braga
•    3ª Promotoria de Justiça de Itaberaí: Carlos Eduardo Limongi Saliba Filho
•    1ª Promotoria de Justiça de Goiatuba: Pedro Henrique Silva Barbosa
•    8ª Promotoria de Justiça de Formosa: Paula Moraes de Matos
•    8ª Promotoria de Justiça de Itumbiara: Luciano Miranda Meireles
•    21ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia: Cláudia Maria Rojas
•    de Carvalho
•    22ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia: Ludmila Ferreira Pires de Resende
•    23ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia: Márcia Maria Samartino Costa
•    24ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia: Adriano Godoy Firmino
•    6ª Promotoria de Justiça de Trindade: Sérgio de Sousa Costa
•    19ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia: Melissa Sanchez Ita
•    6ª Promotoria de Justiça de Anápolis: Rafael Machado de Oliveira
•    4ª Promotoria de Justiça de Mineiros: Rodrigo Carvalho Marambaia
•    2ª Promotoria de Justiça de Jussara: Ana Paula Ferreira Gomes
•    2ª Promotoria de Justiça de São Miguel do Araguaia: Izabella Artiaga Dias Maciel
•    2ª Promotoria de Justiça de Pirenópolis: Francisco Borges Milanez
•    2ª Promotoria de Justiça da comarca de Niquelândia: Luan Vitor de Almeida Santana
•    5ª Promotoria de Justiça de Rio Verde: Rodrigo Fernandes Cruz Humberto
•    14ª Promotoria de Justiça de Anápolis: Lucas Danilo Vaz Costa Junior
•    7ª Promotoria de Justiça de Caldas Novas: Ariane Patrícia Gonçalves
•    7ª Promotoria de Justiça de Valparaíso de Goiás: Fernanda Balbinot

Comentários do Facebook

Caldas Novas

Parque da Serra de Caldas Novas abre exposição sobre plantas do Cerrado

Publicados

em

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (Pescan) abriu uma exposição de longa duração sobre plantas do Cerrado e polinização

O Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (Pescan) abriu uma exposição de longa duração sobre plantas do Cerrado e polinização. A mostra está no museu do parque, que também preparou uma cartilha com ilustrações e informações para ser distribuída aos visitantes.

A exposição e a cartilha são resultado de trabalho realizado em 2019 e 2020, para pesquisar a flora do Pescan. As cartilhas estão em fase de impressão e serão distribuídas ao visitantes, porém a versão on-line já esta disponível para acesso.

“O objetivo é divulgar a rica biodiversidade da flora e os polinizadores presentes no Pescan, destacando a importância desses ecossistemas”, afirma Maurício Vianna Tambellini, servidor da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás (Semad) e chefe do Pescan.

A organização é da pesquisadora Renata Trevizan, aluna de doutorado da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com contribuições de Isabela Batista Ávila (aluna de graduação), do professor Paulo Eugênio Oliveira, de Maurício Tambellini, de Anna Cecília dos Santos de Souza e de Ângela Beatriz Pomatti.

COPAÍBAS

A mostra tem apoio do projeto Copaíbas, coordenado pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), implementado com verba da Agência Norueguesa para Desenvolvimento e Cooperações. A interlocução é feita pelo Ministério de Relações Exteriores da Noruega.

O Funbio, gestor do programa, é uma associação civil sem fins lucrativos, certificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

O objetivo do Copaíbas é o de contribuir com a preservação do Cerrado e da Amazônia, por meio de linhas de ações específicas: 1) fortalecimento do sistema de águas protegidas do Cerrado; 2) fortalecimento da gestão territorial dos povos indígenas; 3) melhoria da informação disponível ao público sobre mudanças climáticas e conservação; e 4) aperfeiçoamento da eficiência econômica das cadeias de valor e dos arranjos produtivos locais dos produtos da sociobiodiversidade.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA