Ação Social

Governo de Goiás assina contratos para 1.782 novas casas a custo zero

Publicado

em

Foram lançadas ainda soluções tecnológicas para melhorar o acompanhamento de obras do programa Pra Ter Onde Morar – Construção e ampliar atendimento à população

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab) e da Secretaria de Estado da Infraestrutura, apresentou, em solenidade no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, nesta quarta-feira (10/04), três novidades para a política habitacional do Estado. Uma delas é a implantação da sala de situação que passa a monitorar em tempo real o andamento das obras em todos os municípios. Outra novidade é a atendente virtual Marilar, que auxiliará beneficiários e candidatos a benefícios executados pela Agência, pelo aplicativo WhatsApp. Já para a construção de casas a custo zero, a cerimônia formalizou a contratação de 1.782 novas unidades em 42 municípios goianos. Participaram da cerimônia o vice-governador Daniel Vilela, o secretário estadual da Infraestrutura, Pedro Sales, e o presidente da Agehab, Alexandre Baldy, entre outras autoridades.

De acordo com Baldy, as novidades se alinham com a determinação do governador Ronaldo Caiado de ampliar e facilitar o acesso às políticas de habitação de interesse social de Goiás. “Tanto o governador como a primeira-dama, Gracinha Caiado, fizeram do atendimento social no Estado uma prioridade na meta de trazer melhoria para a vida dos goianos, especialmente para a parcela da população que mais precisa”, afirma Baldy.

Para o secretário Pedro Sales, isso se reflete na implantação de novos processos, como os lançados agora. “Todos os esforços da equipe da Agehab estão focados nesses objetivos”, completa. As duas ferramentas tecnológicas implementadas vão por esse caminho. A sala de situação para acompanhamento das obras, instalada na Diretoria Técnica da Agehab, agora acompanha em tempo real os novos canteiros de obras. Já no processo de contratação ficará determinada instalação de câmeras nos espaços de trabalho das construtoras, otimizando o trabalho de fiscalização.

No caso da atendente virtual Marilar, a Agência desenvolveu uma ferramenta de inteligência artificial que vai agilizar atendimento dos beneficiários. Além dos canais telefônicos, redes sociais e presencial, eles também poderão tirar suas dúvidas via WhatsApp. “Notamos que cerca de 90% das dúvidas ou solicitações de informações dos nossos beneficiários são sempre as mesmas e então implementamos mais esta ferramenta de comunicação que vai funcionar 24 horas por dia, todos os dias da semana. A própria tecnologia interage com o beneficiário e oferece as respostas mais usuais”, reitera o presidente da Agehab. Isso não interromperá, porém, a atuação de atendentes humanos em situações com demandas mais específicas.

Mais casas
Já as 1.782 novas moradias a custo zero, cujos contratos foram assinados durante a solenidade, representarão mais de R$ 315,5 milhões de investimentos provenientes do Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Protege) injetados na economia goiana. Para o Crédito Parceria, que entra em contrapartida à construção dessas unidades a custo zero, o valor é de R$ 153,1 milhões, provenientes da outorga de crédito, que resultarão em subsídios para 3.393 unidades habitacionais.

O vice-governador Daniel Vilela ressalta que o programa Pra Ter Onde Morar tornou-se referência no Brasil como o único que tem apresentado índices tão completos e em larga escala. “Somente Goiás faz hoje um programa com casas a custo zero, além de subsidiar os programas federais com o maior valor entre todos os estados do Brasil”, completa Daniel.

Com os acréscimos, o programa Pra Ter Onde Morar – Construção/Casas a Custo Zero terá um crescimento de 10,77%, expandindo de 130 para 144 municípios goianos. Além disso, houve um aumento de aproximadamente 22% na quantidade de unidades habitacionais contratadas. Segundo o vice-governador, os resultados demonstram o contínuo comprometimento do Governo de Goiás em proporcionar moradias dignas e acessíveis à população.

Foto: Pedro Nogueira / Agência Goiana de Habitação – Secretaria de Estado da Infraestrutura – Governo de Goiás

 

 

Comentários do Facebook

Ação Social

Governo promove ações de combate à exploração infantil no turismo

Publicados

em

Para sensibilizar empreendedores turísticos, Ministério do Turismo reafirma a importância da adesão ao Código de Conduta Brasil, que tem experiências de boas práticas da ONU Turismo para prevenção e enfrentamento ao crime de violência sexual contra crianças e adolescentes

Na Semana Nacional de Combate à Exploração Sexual Infanto Juvenil, cuja data é marcada para o dia 18 de maio, o Ministério do Turismo (MTur) está promovendo uma ação de sensibilização para incentivar parceiros do setor a aderirem ao Código de Conduta Brasil. A iniciativa é voltada para prevenção e enfrentamento ao crime de violência sexual contra crianças e adolescentes, ao mesmo tempo que fortalece o turismo responsável no país.

Acesse o site e saiba mais.

O Código de Conduta Brasil, criado pelo MTur, tem com base as experiências de boas práticas da ONU Turismo e é um instrumento de compromisso, de livre adesão, que estabelece padrões de comportamento ético de empresas e prestadores de serviços turísticos, seus funcionários e colaboradores. O objetivo é orientar o setor como agir e a adotarem uma posição explícita de repúdio à exploração sexual contra crianças e adolescentes.

O Governo Federal entende que precisamos dar as ferramentas legais para que quem está na ponta e o Código de Conduta é um excelente instrumento que orienta o nosso setor a como agir no sentido de coibir práticas violentas que envolvam nossas crianças e jovens. E nós, do Turismo, podemos combater tais atos pelo acolhimento e denuncia” Celso Sabino, ministro do Turismo

O ministro do Turismo, Celso Sabino, reforçou a importância da união de todos para o combate a esse crime. “Nós, como Governo Federal, entendemos que precisamos dar as ferramentas legais para que quem está na ponta e o Código de Conduta é um excelente instrumento que orienta o nosso setor a como agir no sentido de coibir práticas violentas que envolvam nossas crianças e jovens. E nós, do turismo, podemos combater tais atos pelo acolhimento e denuncia”, afirmou.

A estratégia envolve ações de disseminação de informação e capacitação, de modo que funcionários e parceiros comerciais tenham mais esclarecimento sobre o tema e saibam como proceder em casos suspeitos, desde a identificação suspeitos até as denúncias ao Conselho Tutelar e Disque 100.

A coordenadora de Turismo Responsável do MTur, Laís Campelo, explicou que “prevenir a exploração de crianças e adolescentes é um dever de todas as pessoas, por isso, o turismo também é responsável por atuar no enfrentamento a esse crime. Assim o Código de Conduta se soma às ações públicas para prevenção à exploração sexual de crianças e adolescentes, em especial, pela reafirmação da conduta ética dos estabelecimentos turísticos com a legislação brasileira”.

Parceira do MTur, a rede de hotéis Accor está trabalhando junto na mobilização do setor para maior adesão ao Código de Conduta. Em live realizada para a rede hoteleira foi possível promover o compartilhamento de responsabilidade e incentivar que mais hotéis passem a incluir a estratégia junto aos prestadores de serviços turísticos, para maior cuidado com os viajantes.

“Reconhecemos a importância de parcerias estratégicas, como a estabelecida com o Ministério de Turismo, na adesão ao Código de Conduta Brasil. Elas são fundamentais para fortalecer os nossos esforços para garantir um ambiente seguro para todas as crianças”, comentou Magda Kiehl, SVP Jurídico, Compliance & Corporate Security da Accor Américas na divisão Premium, Midscale & Economy.

PARTICIPE — As empresas e prestadores de serviços turísticos que se comprometerem com o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes no contexto do turismo deverão estar cadastradas no Cadastur e firmar Termo de Compromisso por meio do Sistema de Monitoramento do Código de Conduta.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA