Cidades

Minha Casa, Minha Vida entrega 300 unidades habitacionais em Suzano (SP)

Publicado

em

Conclusão das moradias do empreendimento contratado em 2015 vai beneficiar mais de 1,2 mil pessoas

O Ministério das Cidades fez a entrega oficial nesta segunda-feira (27) do Residencial Suzano II, empreendimento com 300 unidades habitacionais na cidade paulista. As moradias fazem parte da Faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que atende às famílias com renda mensal bruta de até R$ 2.640.

Com um investimento total de R$ 68,7 milhões, somente nesta entrega serão beneficiadas mais de 1,2 mil pessoas. Cada apartamento tem 47,6 m² de área útil e 8 unidades são adaptadas para portadores de necessidades especiais. O empreendimento foi contratado em 2015, teve obras paralisadas entre 2018 e 2021 e foi recentemente retomado para conclusão.

A beneficiária do programa Isonilda do Nascimento, de 59 anos e que trabalha como cuidadora, esperava desde 2009 pela casa própria. “Sempre morei de aluguel, me separei e morei com meus filhos”, contou. “É uma emoção muito grande estar recebendo essa casa. Vou passar o Natal e o Ano Novo com minha família, se Deus quiser.”

Em cerimônia realizada no Residencial Suzano II para a entrega das chaves, o ministro das Cidades, Jader Filho, ressaltou o esforço do governo federal em prover habitação de qualidade para a população.

“Hoje é o dia mais importante da vida de muitos aqui”, disse o ministro. “Com a retomada do programa Minha Casa, Minha Vida pelo presidente Lula, vamos poder realizar o sonho da casa de própria de muitas famílias por este País, como estas 300 famílias aqui que poderão passar o Natal em suas casas – isto aqui é de vocês.”

O ministro ressaltou a isenção de pagamento de taxas aos beneficiários do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para a Faixa 1 no Novo MCMV e lembrou que o município teve propostas selecionadas para a nova fase do programa, para a contratação de mais 400 unidades habitacionais. Em todo estado de São Paulo, serão mais de 20 mil unidades contratadas.

“Vamos trabalhar em parceria para que a gente possa realizar o sonho da casa própria para mais municípios”, disse. “É a retomada do pacto federativo, do governo federal com o presidente Lula, os governos dos Estados e os prefeitos, trabalhando juntos.”

Participaram da cerimônia de entrega o ministro do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, e o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, entre outras autoridades e convidados.

Comentários do Facebook

Ação Social

Governo de Goiás abre mais de 6 mil vagas do Aluguel Social em 18 municípios

Publicados

em

Programa estadual prevê repasse de R$ 350, por 18 meses, para famílias que preencham pré-requisitos

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), está com inscrições abertas ao programa Pra Ter Onde Morar – Aluguel Social, em 18 municípios. Podem se inscrever moradores de Cristalina, Padre Bernardo, Cidade de Goiás, Goiatuba, Itaberaí, Porangatu, Posse, Anicuns, Bela Vista, Bonfinópolis, Goianira, Iporá, Jussara, São Luís de Montes Belos, Pires do Rio, Quirinópolis, Rio Verde e Santa Helena.

O edital com o regulamento e o link para as inscrições estão disponíveis no site da Agehab a partir desta terça feira (20/02). O candidato ao benefício terá sua demanda analisada por ordem cronológica de entrada no sistema, sendo atendido quem comprovar, por meio de documentação, que preenche os requisitos legais.

De acordo com o presidente da Agehab, Alexandre Baldy, esta nova rodada de inscrições contemplará 6.235 famílias com um benefício de R$ 350 mensais, por 18 meses. “O regulamento está previsto na Lei Estadual nº 21.186. Para participar, a pessoa que mora de aluguel precisa ter inscrição no CadÚnico, ser maior de 18 anos ou emancipada e estar residindo no município há 3 anos, no mínimo. Além disso, precisa atender a pelo menos um dos requisitos específicos”, explica Baldy.

Entre os requisitos específicos para receber o Aluguel Social, estão o superendividamento, moradia improvisada, nome negativado no SPC/Serasa, vítima de violência doméstica, idoso, deficiente, família só com pai ou só com mãe, estar inscrito em programa habitacional do Estado e não ter sido contemplado, ter cadastro em programas sociais do Governo de Goiás, ser bolsista do Probem ou estudante da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

“Basta comprovar um destes itens, além dos requisitos gerais, já informados. É importante ressaltar que todos os critérios exigidos devem ser comprovados com a apresentação dos respectivos documentos”, acrescenta Baldy. Ele alerta, porém, que o candidato será eliminado se em algum momento do processo de inscrição forem detectadas inconsistências nas informações ou irregularidades.

O Programa Aluguel Social foi criado em 2021 e tem capacidade para atender simultaneamente cerca de 40 mil beneficiários em Goiás. Os recursos devem ser usados exclusivamente para locação de moradia, sendo repassado às famílias por meio de um aplicativo de celular. A plataforma funciona como um banco digital. É bem simples de ser usado e só permite a transferência de valores entre a conta do beneficiário do programa e a conta do locador do imóvel, não sendo possível saque em espécie ou destinação para contas de terceiros.

Todas as informações relacionadas ao programa podem ser obtidas no endereço eletrônico www.agehab.go.gov.br, nos telefones (62) 3096-5005 ou (62) 3096 – 5050 e na sede da Agehab (Rua 18-A, nº 541, Setor Aeroporto – Goiânia/GO), das 8 horas às 17h30.

Fotos: Otacílio Queiroz: Agência Goiana de Habitação (Agehab) – Governo de Goiás

 

 

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA