Agro

Na Tecnoshow, Caiado destaca obras de infraestrutura que beneficiam o agro

Publicado

em

Na abertura da feira agrícola, em Rio Verde, governador apresenta obras bancadas com recursos do Fundeinfra nas GOs-210 e 174. Investimento é de R$ 130 milhões

Os investimentos em infraestrutura para expandir as fronteiras agrícolas em Goiás foram destaque no discurso do governador Ronaldo Caiado durante a abertura da 21ª edição da Tecnoshow Comigo, nesta segunda-feira (08/04), em Rio Verde. “Somente em Rio Verde, são R$ 130 milhões investidos”, afirmou, citando números do Fundo Estadual de Infraestrutura (Fundeinfra). Entre as obras, estão a pavimentação em concreto do trecho urbano da GO-210, e a duplicação de trecho da GO-174, na entrada da Tecnoshow.

Governador Ronaldo Caiado e primeira-dama Gracinha Caiado participam da abertura da Tecnoshow Comigo, em Rio Verde

Governador Ronaldo Caiado e primeira-dama Gracinha Caiado participam da abertura da Tecnoshow Comigo, em Rio Verde

Segundo Caiado, o aumento da produção traz a necessidade de “adequar as rodovias à passagem de bitrens e carretas cada vez maiores”. No caso da GO-174, o valor estimado da obra, já em fase de licitação, é de mais de R$ 80 milhões, o empreendimento facilita o acesso à região onde é realizada anualmente a feira. Na GO-210, a substituição do asfalto atual pelo pavimento rígido (concreto) está em andamento e equivale a um aporte de mais de R$ 50 milhões. A terceira intervenção que será realizada na região de Rio Verde é a pavimentação da GO-570, no trecho que liga a BR-060 ao anel viário.

O governador lembrou que essas obras são bancadas pelo Fundeinfra, após diálogo com o setor agropecuário para definição dos investimentos prioritários. Ainda, destacou a importância do campo para a geração de riqueza no estado. “Crescemos acima da média nacional. Se não fosse pela agropecuária, isso não seria possível”, disse, em referência ao avanço de 4,4% no PIB de 2023, projetado por pesquisas internas do governo. “O setor produtivo tem sido grande parceiro na infraestrutura e é protagonista na escolha das obras executadas pelo fundo”, apontou o secretário de Estado da Infraestrutura, Pedro Sales.

“As obras são direcionadas exatamente àqueles pontos onde a agricultura está em expansão”, reconheceu o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás, José Mário Schreiner, também presente na solenidade. Já o prefeito de Rio Verde, Paulo do Vale, destacou o empenho de Caiado em destravar obras. “Quando quer faz, e o nosso governador está fazendo”, destacou. O vice-governador Daniel Vilela salientou que o Estado atua para “ampliar a competitividade” do agro.

Participação
Ao lado da coordenadora do Goiás Social e primeira dama, Gracinha Caiado, o governador também oficializou a instalação do Poder Executivo no município durante a Tecnoshow. O evento deve receber cerca de 138 mil pessoas e movimentar mais de R$ 11 bilhões em negócios até a próxima sexta-feira (12/04).

Ao lado de 650 expositores, o Governo de Goiás, em parceria com a prefeitura de Rio Verde, mantém um estande no local, com propósito de apresentar os programas da gestão estadual, solucionar dúvidas e prestar serviços aos produtores rurais e visitantes. A programação geral prevê 100 horas de palestras e cursos, bem como a exposição de mil animais, espalhados por uma área total de 170 hectares.

“Esta já é a segunda feira mais importante do país”, afirmou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Carlos Henrique Fávaro, ao enaltecer o protagonismo de Goiás no cenário nacional. “No ano passado, tivemos aqui 635 empresas, este ano são 690. Aumentamos a área e estamos mostrando novas tecnologias para agricultura e pecuária, em uma feira extremamente completa”, finalizou o presidente da cooperativa Comigo, Antônio Chavaglia.

Fotos: André Saddi e Rômulo Carvalho / Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Comentários do Facebook

Agro

Exportações do agronegócio brasileiro atingem mais de US$ 15 bilhões em maio

Publicados

em

Os produtos que mais contribuíram para abrandar a queda das exportações no mês foram café verde, algodão não cardado nem penteado, celulose e açúcar de cana em bruto.

As vendas externas brasileiras de produtos do agronegócio foram de US$ 15,05 bilhões em maio de 2024. Esse resultado correspondeu a 49,6% das exportações totais do Brasil. O valor em maio foi 10,2% inferior na comparação com os US$ 16,76 bilhões exportados no mesmo mês de 2023. Em termos absolutos, houve uma queda de US$ 1,71 bilhão nas vendas externas. Esta diminuição ocorreu em função dos menores preços médios de exportação e, também, devido à redução do volume global exportado. 

Os produtos que mais contribuíram para abrandar a queda das exportações no mês foram café verde (+US$ 392,21 milhões), algodão não cardado nem penteado (+ US$ 337,30 milhões), celulose (+ US$ 298,95 milhões) e açúcar de cana em bruto (+ US$ 114,63 milhões). 

PRODUTOS BRASILEIROS 

Um dos destaques das exportações brasileiras do agronegócio, o complexo sucroalcooleiro continua registrando recordes de exportação. O setor elevou as exportações de US$ 1,24 bilhão em maio de 2023 pra US$ 1,43 bilhão em maio de 2024 (+15,3%). O volume recorde de açúcar exportado para os meses de maio foi o fator responsável por esse bom desempenho.

Vale ressaltar que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou uma produção 46,3 milhões de toneladas de açúcar para a safra 2024/2025, maior volume de produção de açúcar em toda a série histórica. Com essa produção recorde, o Brasil exportou 2,81 milhões de toneladas em maio (+16,7%).

As carnes também estão entre os principais setores exportadores do agronegócio brasileiro, sendo responsáveis por 14,2% de todas as vendas externas do agronegócio. Foram registrados US$ 2,13 bilhões em maio de 2024, valor 2,0% superior na comparação com os US$ 2,09 bilhões exportados no mesmo período de 2023.

Houve embarques recordes em três tipos de carnes: 211,98 mil toneladas exportadas de carne bovina in natura em maio de 2024 (recorde de todos os meses); 430,26 mil toneladas de carne de frango in natura (recorde para os meses de maio); e 91,63 mil toneladas de carne suína in natura (também recorde para os meses de maio).

Os produtos florestais ficaram na terceira posição dentre os principais setores exportadores do agronegócio, registrando US$ 1,55 bilhão em vendas externas (+25,5%).

Ao contrário do complexo soja e das carnes, houve elevação nos preços médios de exportação nos produtos florestais. O principal motivo dessa alta ocorreu devido ao incremento do preço internacional da celulose, que passou de US$ 403 por tonelada em maio de 2023 para US$ 551 por tonelada em maio de 2024 (+36,8%). A China é o principal importador desse produto brasileiro.

EXPORTAÇÕES JANEIRO A MAIO 

No acumulado de 2024, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 67,17 bilhões (-0,2%). O declínio das exportações ocorreu em função da queda dos preços dos produtos exportados (-9,8%), uma vez que o índice de quantidade apresentou crescimento de 10,7% nos cinco primeiros meses do ano. O agronegócio representou 48,4% das exportações totais brasileiras.

ACUMULADO DOZE MESES (JUNHO DE 2023 A MAIO DE 2024) 

No período acumulado dos últimos doze meses as exportações do agronegócio brasileiro somaram US$ 166,38 bilhões, o que significou crescimento de 2,4% em relação aos US$ 162,53 bilhões exportados nos doze meses imediatamente anteriores. Com esse valor, a participação dos produtos do agronegócio no total exportado pelo Brasil no período foi de 48,5%.

As importações, por sua vez, totalizaram US$ 17,49 bilhões, cifra 1,3% inferior à registrada nos doze meses anteriores (US$ 17,72 bilhões), e representaram 7,2% do total adquirido pelo Brasil no período.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA