Agro

Brasil amplia exportação de material genético animal para o Paraguai

Publicado

em

O governo brasileiro tomou conhecimento, com satisfação, da abertura do mercado paraguaio para as exportações de sêmen e embriões caprinos e ovinos. As negociações foram iniciadas em março deste ano e a aprovação do Certificado Sanitário Internacional, que permite a exportação dos produtos, foi concluída em novembro corrente, com a publicação dos requisitos zoosanitários pela autoridade sanitária do Paraguai.

De acordo com o documento, as condições de manipulação, carregamento e transporte obedecem aos padrões higiênico-sanitários recomendados internacionalmente, que asseguram os cuidados necessários para evitar o contato dos produtos com qualquer fonte potencial de contaminação.

Pelas métricas do governo brasileiro, as exportações brasileiras de material genético animal – excluído o material genético de origem bovina – somaram USD 825,2 mil de janeiro a outubro deste ano. Os principais mercados importadores do produto brasileiro são Costa Rica, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai.

Dessa maneira, o Brasil alcançou a abertura de 65 novos mercados externos para os produtos agropecuários brasileiros neste ano. Tais resultados são fruto do trabalho conjunto do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Comentários do Facebook

Agro

Mapa marca presença na Gulfood em Dubai e reforça papel do Brasil em exportações do agro

Publicados

em

Feira é considerada a maior de alimentos e bebidas do Oriente Médio e uma das maiores do mundo

Considerados o 13º maior comprador de produtos do agronegócio brasileiro, os Emirados Árabes Unidos sediam, nesta semana em Dubai, a 29ª edição da Gulfood, a maior feira de alimentos e bebidas do Oriente Médio e uma das maiores do mundo. Com uma parceria institucional firmada com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), o evento também teve a participação de uma delegação representando o Mapa.

O secretário de Comércio e Relações Internacionais, Roberto Perosa, o secretário-adjunto, Julio Ramos, e o diretor de Promoção Comercial e Investimentos, Marcel Moreira, estiveram presentes junto à delegação brasileira em seis pavilhões. Os espaços foram organizados especialmente pela Apex Brasil e entidades setoriais, como a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC), reunindo cerca de 120 empresas brasileiras.

Com a expectativa de movimentar US$ 2,4 bilhões em negócios para o Brasil, um dos destaques do agronegócio brasileiro na feira são as proteínas animais, especialmente a carne de frango halal, produzida conforme os preceitos e tradições islâmicas. Atualmente, o país é o maior exportador mundial de carne halal e, segundo especialistas, a tendência é que as exportações brasileiras para esse mercado continuem crescendo. Somente no ano passado, o Brasil exportou para os Emirados Árabes US$ 2,33 bilhões em produtos do agro, com a carne representando 54% do total comercializado.

“Atendendo ao pedido do ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, visitamos a Gulfood e todos os expositores brasileiros presentes. A feira tem sido extremamente positiva, com mais de 120 empresas brasileiras participantes conseguindo realizar vendas, o que contribui para o sucesso e desenvolvimento do interior do país. Isso facilita o escoamento da produção brasileira, abre novos mercados e traz oportunidades significativas aos nossos produtores”, afirmou Roberto Perosa.

A feira possui localização estratégica, pois Dubai é um ponto de encontro internacional entre exportadores e importadores, especialmente dos países árabes, da Ásia e da África, mercados de extrema relevância para o agronegócio brasileiro. Mais de 150 mil visitantes de todo o mundo passam pelo local.

“O governo brasileiro, mais uma vez, demonstra seu compromisso, dialogando diretamente com as empresas. O apoio constante que temos recebido, evidenciado pela abertura de tantos novos mercados e pela implementação de novos programas, reflete as cifras que apresentamos ao Presidente da República: nos últimos 20 anos, os setores bovino, suíno e de aves geraram para o Brasil mais de um trilhão e duzentos e cinquenta bilhões de reais em receitas cambiais. É esse impacto que a presença do Ministério da Agricultura na feira amplifica, reafirmando o Brasil como um dos principais players globais no mercado de proteínas”, destacou Ricardo Santin, presidente da ABPA.

Do Brasil, também são parceiros institucionais da Gulfood a Embaixada do Brasil em Abu Dhabi, Ministério das Relações Exteriores (MRE), Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e as entidades setoriais: ABIARROZ, BSCA, ABPA, ABRAFRUTAS, ABIEC e IBRAFE.

Comentários do Facebook
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA